julho 25, 2017

transbordou...

transborda em mim...
uma sensação um tanto quanto nova
e uma vontade que se coloca à prova...
de experimentar, o ser e o estar.

o olhar penetrante
adentra a profundidade do que sou
mesmo com tantos pensamentos hesitantes
eis que o sentimento revela o que voou

e esse sorriso, meio escondido
"de canto de boca"
parece mais como algo entendido
pois fez-se o seu próprio sentido

perante a tudo que foi conversado
e todo carinho doado
respeito e admiração
essência de prontidão

e este frio que venho a sentir
não se compara ao calor que vejo emergir
mas que com calma deve ser direcionado
de passo em passo, ao que há de ser revelado...

nas entrelinhas tão claras
dessa imensidão tão rara
que faz vibrar o coração
e de tudo, resumir-se ao estado de gratidão.

r.

julho 15, 2017

jornadas

Hoje eu queria cantar
Pedir perdão e agradecer
Seguir caminhando rumo ao amanhã
Com as bagagens que tenho no agora

Sabendo e levando apenas o necessário
Para assim, ir com calma e serenidade
Conhecendo um pouco mais dos meus pormenores
Respeitando e entendendo os meus ciclos

O caminho aberto será
E nessa estrada, quero poder avançar
Com a calma e a tranquilidade
Para com cada passo que venho a dar

Pelo céu, debaixo dessa estrela
Sei que minha fortaleza bem guardada está
E ao além vamos chegar
Com dedicação e amor no coração

Dos meus versos, faço minha melodia
De todo este poema, minha própria alquimia
E nas areias quero pisar
Neste mar, quero mergulhar

Junto de toda esperança
Minha jangada aponta rumo a uma nova bonança
E os ventos que aqui impulsionam
São oriundos dos vales da mansidão

Para um dia chegar n'outro continente
E irei saber quando dizer: terra à vista
Porque no meu coração está o timão
Da embarcação do destino deste capitão

Que, com honra, sirvo em seu convés
Pedindo força perante a qualquer viés,
Aprendendo, eternamente, a navegar
Com o entendimento que esta luz nos dá

Agora sigo minha jornada
E neste diário, registro esta empreitada
Para no porto da alegria chegar
E entender, que mesmo sendo de papel

Meu barquinho não vai afundar.

r.

julho 13, 2017

trocas

aceito essa troca
com os meus irmãos
de amor e verdade
rumo a eterna transição

o que fui um dia
e o que cogitei ser
não são mensuráveis perante a liberdade
e a esta vivência que me permite crescer

aceitando e pedindo o abraço de alento
o carinho passado pelo olhar de quem está atento
e o cuidado próprio de quem quer bem
das ondas que chegam até o mar e vão além

a conversa é feita na casa do coração
e lá, com simplicidade, não há interrupção
pois é sincero em essência
e belo, por tamanha transparência

agradeço por todo amor
e por recuperar o fôlego em meio aos furacões
são estas as memórias que realmente importam
assim como um bardo sabe de suas canções.

r.

julho 10, 2017

aqui, humilde

Eu peço a meu Pai humildade
E firmeza para seguir nessa verdade
Pois sei que essa força habita em mim
E sei que o próximo passo hei de dar

Mas requer a vontade para caminhar
Perante a tudo que se sente
O tempo é o que nos guia hoje
E ao amanhã, minhas atitudes definirá

Que eu fale e pense com carinho
Quando necessário e não ao contrário
Porque tudo está em seu lugar
Basta silenciar para se apreciar

O que vivo agora,
Sei que me fortalecerá ao porvir
E com o coração firme e aberto
Hei de alcançar...

Portanto, atenção eu devo dar
E saber que tudo está bem
E se não percebo agora
Basta em mim, procurar

Acreditando no raiar da aurora
E no que está dentro e não fora.
Entendendo e compreendendo
A grande movimentação

Em prol do amor e da evolução.
Sou e quero ser
Um filho do meu Pai
Para a todos os desafios vencer

Com ternura e um sorriso no rosto
Andando neste mundo com gosto
Por ter o bem de prontidão
E podendo ajudar, estendendo a mão.

Que este ensinamento
Não se forme com julgamento
E que em minhas demasiadas palavras
Eu respire e perceba a hora do dizer nada.

Por fim, agradeço pela esperança
E também por esta eterna bonança
Que vem dos mares do além
E aporta no meu coração...

Amém.

r.

julho 05, 2017

sensibilidade

acesso o que há de sensível em mim
e a toda e qualquer reação exterior
um tsunami de emoções adentra o meu coração

talvez eu precise de espaço
ou talvez seja o momento de tentar aprender esta lição
pois em mais um ápice eu chego

e o perceber deste fato é o que o torna importante
qual ensinamento estou eu deixando de obter
por insistir neste montante... de informações, de emoções...

questiono-me por que ainda insisto em lembranças
ou por que me deixo ao porvir da esperança
quando ao agora é o que me resta para trilhar

e essa é a grande maravilha de respirar...
estou eu, como espectador do óbvio,
olhando para o lado que cansei de observar?

quando a direção está no meu coração
és, deveras, teimosia deste ser em evolução...

r.

julho 04, 2017

mais um dia

e nos momentos em que não devo alimentar o que sinto
alienar-me mais, sabendo que ao nada me levo mais
insisto neste outro ponto de vista sem solução
que saudosista fica, à mercê de toda lembrança e falsa esperança ao coração

o todo é mais, o que sou me traz paz
então porque insisto nesse ignóbil querer?
cansado estou deste ciclo sem fim
qual a lição que deixo passar despercebido, dentro de mim?

o amor próprio é uma longa caminhada
e não consiste apenas de chegadas
demanda e depende de inúmeras partidas
para desbravar oceanos e terras longínquas

somos fortes e capazes de sustentar-nos neste momento delicado
de carência e todos esses pensamentos mal intencionados
sabemos que o bem e o Sol estão além
e que mesmo não enxergando agora, não podemos ser reféns

das nuvens que se formam e da tormenta que se anuncia
o nosso verdadeiro ninho é o que nos acompanha, dia-a-dia
à morada móvel! e ao mundo óbvio
sei que são muito mais, ante a quaisquer palavras meramente carnais

minha solução...
paciência e recuperação.

r.

junho 23, 2017

ilusionismo

É rezando, meu filho
Que se fortalece nesta caminhada
Sem a dúvida do que fazer
Esta é a resposta que em ti é procurada

Firmar um compromisso
E não esquecer do teu ofício
Perante as vontades materiais
E as indagações, por vezes, tão superficiais

Saibas que o que te levanta
Parte do que a tua essência emana
Esta lembrança atemporal
Feita para se decifrar nos tempos de provações, perante ao astral

Tudo está em seu devido lugar
E a roda do mundo, continua o seu girar
Para que entendamos que nossas vontades
Nos guiam rumo à nossa própria vaidade

E o que realmente importa
Somente na sutileza, és que a natureza denota
No íntimo de nossos corações
Eis a chave que contém todas as soluções

E, nós, como seres do efêmero
Nos deixamos levar por próprios conceitos
Esquecendo assim, a grande missão
Sofrendo por esquivar de nossa própria expiação.

Enfim, não tardiamente
Este é o mistério deste Ser reluzente
Que ao nada é o que evitamos
Quando ali, reside tudo que realmente enfrentamos...

Ora por opção,
Ora por alienação...

ilusão.

R.