maio 30, 2012

Senhoras e sem dores.

O que eu gostaria de comunicar
É sobre a presença de um ou mais seres interiores
Que de um extremo de nós
Faz sua personalidade em magnificência ou em horrores.

Um ser extraordinário
Ingênuo... Ridículo!
Que assombra os maus olhares
E a ausência de todo riso.

Alguém que perdura em poesia
Ou circo ou teatro...
Quem sabe é um miscigenado
Entre a arte e o olfato.

E por falar em olfato,
Cadê o meu nariz?
Sem ele, mal posso respirar!
Onde é que está você, chafariz!

"Em que ponto você foi parar?".

Nicolau.

2 comentários:

  1. Grata pela agradável e inspiradora leitura.
    Quando a escrita define os sentimentos, nos envolve.
    Sou parte desse universo que trabalha junto com a alma.
    Lígia Maria Ruvenalth

    ResponderExcluir
  2. Hummmm, que texto singelo mesmo! Ótimo para uma quarta-feira, hehehehehe! Adorei a relação com a foto! Abraços

    ResponderExcluir