abril 03, 2011

Petrópolis, 27 de março de 2011.

És detentora de atenções,
Que em seu silêncio clama...
A sonoridade dos tambores,
Que assopram em meu peito.

É tão pouco tempo,
Mas já faz parte de uma família...
Que aqui escolhi crescer,
E procurando sempre mais aprender.

Poderias ser um verso,
Requintado ou singelo...
Poderias ser...

Quem sabe uma estrofe,
Em versos de um poeta...
Guarda tudo em um cofre.

Há pouco arrombado,
E muito fora levado...
Mas ainda sim lá guardou...

O que tu és,
O que traduzes...
Poesia em forma de flor.

E de alguma forma a poesia sempre prevalecerá! 

Rafael Nicolay

2 comentários:

  1. "És detentora de atenções," ADOREI O VERSO!

    ResponderExcluir
  2. sempre, sempre prevalece!
    e as assinaturas tb! rsrs

    ResponderExcluir